Qual o pH ideal para o consumo de água?

Uma dúvida comum entre os consumidores de água é a respeito do pH ideal da água para o consumo humano e, embora o pH tenha um papel fundamental na saúde, é um assunto ainda pouco falado entre os especialistas.


O pH é uma medida graduada entre 0 e 14 utilizada para definir se um meio é neutro, ácido ou básico. O pH de 7 corresponde a um meio com substância neutra.


Já uma substância com o pH inferior a 7 indica um meio ácido, enquanto uma substância de pH superior a 7 indica um meio básico ou alcalino.


O pH é medido em escala logarítmica, isto é, a diminuição de 1 unidade no pH define um meio com uma solução 10 vezes mais ácida.


Isso significa que ao consumir uma água com pH igual a 6, esta água será 10 vezes mais ácida que uma água de pH igual a 7.


Agora que já sabemos o que é pH, vamos ao que interessa: qual o ideal na água?


No Organismo


Sabe-se que o pH do sangue humano deve ser discretamente alcalino, permanecendo entre 7,35 e 7,45. Um pH superior ou inferior a esta faixa pode trazer prejuízos ao equilíbrio interno do organismo (homeostase), com sérias consequências à saúde.


Um pH ácido no sangue e fluídos corporais provoca redução na capacidade do corpo de absorver nutrientes e minerais, além de diminuir a eficácia das células na produção de energia.


Consequentemente, um organismo ácido pode alterar a eficiência que o corpo tem na desintoxicação por metais pesados, provocar desnutrição (mesmo se alimentando) e desenvolver osteoporose, deixando-o muito mais suscetível a doenças.


Há estudos que associam o ácido excessivo no organismo com o desenvolvimento e propagação de diversos tipos de cânceres.


Nem sempre o estado de acidose é acompanhado de sintomas. Porém, dentre os sintomas mais comuns de um desequilíbrio do pH, podemos citar a azia (sensação de queimação na região do estômago), sensação de saciedade com poucas quantidades de alimentos e excesso de flatulências e arrotos.


Além disso, um indivíduo com acidose pode apresentar quadros de náusea, vômito, cansaço e até alterações na respiração.


Água e alimentos alcalinos


A resposta para evitar a acidose e todas as consequências citadas anteriormente está no consumo de água e alimentos levemente alcalinos. A ingestão de substâncias alcalinas é capaz de neutralizar os efeitos dos alimentos ácidos.


Dê preferência para alimentos como frutas, verduras, ervilhas, chá verde, castanha de caju sem sal, feijões, lentilhas, especiarias, sementes, nozes e ervas.


O limão e a melancia são considerados alimentos extremamente alcalinos e também podem ser excelentes opções.


Deve-se evitar o consumo exagerado de alimentos formadores de ácido como carne, peixes, aves, ovos, cereais, leguminosas, refrigerantes, bebidas alcoólicas e adoçantes artificiais.


A água alcalina, com um pH ideal entre 9 e 10, também tem papel fundamental na prevenção da acidose.


Além de neutralizar possíveis compostos ácidos presentes no sangue, a água mineral alcalina pode repor os minerais que eventualmente foram perdidos durante o episódio de acidose.


A característica alcalina da água também tem propriedades digestivas, pois sua natureza básica é capaz de neutralizar a acidez do trato gastrointestinal, prevenindo doenças como esofagites, gastrites, úlceras e indigestão.


Como identificar o pH da água


A maneira mais rápida de identificar o valor do pH da água é pelo simples ato ler o rótulo presente nas suas embalagens e nos manuais de instruções dos fabricantes de purificadores.


Ainda é muito comum a incidência de acidose na nossa sociedade. Isso se dá principalmente pelo estilo de vida imposto pelo o século XXI. Devido à “correria” do dia a dia, acabamos sendo negligentes com a nossa saúde.


Atitudes simples como adotar uma dieta mais saudável e saber sobre a água mineral que consumimos pode evitar inúmeros problemas de saúde, promovendo maior qualidade de vida.